Acusado de feminicídio contra estudante da Uerj vai a júri popular

Bruno Ferreira Correia, também aluno da Uerj, está preso pelo feminicídio da estudante de Ciências Sociais Luiza Nascimento Braga, em junho de 2019. Denúncia aponta que crime por ciúmes é torpe e foi praticado por meio cruel, sem possibilidade de defesa

Por ADRIANO ARAÚJO

Luiza Nascimento Braga estudava ciências sociais na Uerj
Luiza Nascimento Braga estudava ciências sociais na Uerj -
Rio - Bruno Ferreira Correia, acusado do feminicídio da estudante da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) Luiza Nascimento Braga, de 26 anos, vai a júri popular. A decisão é do juiz Daniel Werneck Cotta, da 2ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ). A data do julgamento ainda não foi definida. 
Na decisão, o magistrado ressalta as provas colhidas durante as investigações, o laudo pericial com a causa da morte e os depoimentos da testemunhas para destacar que o crime foi cometido por motivo torpe e sem possibilidade de defesa da vítima, motivado por ciúmes da namorada, o que deve ser analisado pelo corpo de jurados. Na mesma sentença, o juiz manteve a prisão preventiva de Bruno. Foragido, ele foi preso mais de um mês após o crime.
Relembre o caso
Luiz Braga parou de se comunicar com a família numa terça-feira, dia 18 de junho, e seu corpo foi encontrado pelos pais no sábado seguinte, dia 22. O pai, Luiz Antonio Pereira Braga, recebeu uma mensagem da filha, que desconfiou não ser dela. Após não conseguirem mais contato, os pais então decidiram ir até a casa do suspeito. "Quando nós fomos no sábado, pedimos a chave, e encontramos o corpo dela todo roxo, desfalecido", disse na época, emocionado.
"O crime foi cometido com emprego de meio cruel, considerando os traços de violência física encontrados no corpo da vítima e a causa da morte apontada como hemorragia externa, decorrente de lesão dos grandes vasos do pescoço, provocados por ação pérfuro-cortante, o que provocou intenso sofrimento físico à vítima (sic)", diz o Ministério Público na denúncia à Justiça.
Luiza foi descrita por amigos em relatos nas redes sociais como uma jovem combativa e que lutava pelo direitos das mulheres. Entidades da Uerj chegaram a se pronunciar após a confirmação da morte da jovem.
A universitária chegou a postar uma mensagem sobre relacionamento abusivo antes de sua morte. A postagem em sua rede social aconteceu dia 11 de junho, possivelmente uma semana antes de sua morte.
 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Luiza Nascimento Braga estudava ciências sociais na Uerj Reprodução Facebook
Luiza Nascimento Braga era estudante da Uerj e foi morta pelo namorado Reprodução Facebook
Bruno Ferreira Correia, é acusado do feminicídio da namorada Luiza Nascimento Braga. Ambos estudavam na Uerj Divulgação

Comentários