Manifestantes em Hong Kong depredam metrô e pisoteiam bandeira chinesa

A polícia chegou pouco depois e reagiu atirando bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha

Por ESTADÃO CONTEÚDO

A polícia reagiu com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha ao grupo que quebrou o metrô
A polícia reagiu com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha ao grupo que quebrou o metrô -
Manifestantes pisotearam uma bandeira da China e destruíram uma estação do metrô no 16º final se semana seguido de protestos em Hong Kong neste domingo (22). Inicialmente concentrada pacificamente em um shopping no distrito de Shatin, a população seguiu até o metrô.
A bandeira chinesa pisada depois foi atirada em uma caçamba de lixo fora do shopping, que em seguida foi empurrada para dentro de um rio próximo. 
Ao chegar à estação do metrô de Shatin, um grupo quebrou câmeras de vigilância do lugar e utilizou martelos para danifica os sensores que permitem a entrada dos usuários, além de pichar e quebrar as telas da máquinas automáticas que vendem passagens. Eles usaram guarda-chuvas para não serem reconhecidos.
Os policiais chegaram ao lugar em seguida e interditaram a entrada com uma grade de metal. Em reação, os manifestantes montaram uma barricada na rua perto do shopping e a incendiaram. Enquanto tentava investir contra o grupo, os policiais lançavam bombas de gás lacrimogêneo e os militantes retrocederam e se tentaram se proteger atrás de um paredão formado por guarda-chuvas.
Inicialmente uma manifestação contra um projeto de lei de extradição, os protestos pró-democracia em Hong Kong entram no quarto mês. Na noite de sábado, a polícia usou gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os manifestantes, que arremessavam coqueteis Molotov.

Comentários