Ricardo Bichão pretende levar projetos sociais para dentro das comunidades de Macaé

O pré-candidato à Prefeitura de Macaé pelo PRTB disse ainda que pretende valorizar o pescador local

Por José Eduardo Vieira

Macaé - A série de lives com os pré-candidatos a prefeito de Macaé, promovida pelo jornal O DIA, se encerrou nesta sexta-feira (31). O pré-candidato à Prefeitura pelo PRTB, Ricardo Bichão, respondeu às perguntas dos apresentadores e dos internautas na promessa de trabalhar em prol da população mais humilde.

Comandaram a conversa o colunista político Sidney Rezende e o jornalista José Eduardo Vieira.

Ricardo Bichão sofreu na pele as dificuldades da desigualdade social, mas hoje, aos 40 anos, tem a sua própria empresa, e por isso, se diz motivado e preparado para assumir o cargo de prefeito de Macaé.

“A política para mim é o único lugar onde a gente consegue dar uma qualidade de vida melhor para a população oferecendo uma educação de qualidade, uma saúde melhor e oportunidades no esporte, lazer e entretenimento. Estou pronto e preparado para assumir esta nova empreitada em minha vida”, disse.

O pré-candidato viveu por muitos anos na comunidade Nova Holanda, região esta dominada pelo do tráfico de drogas. Bichão pretende levar ações sociais, esporte e cultura para dentro das comunidades de Macaé.

“Faltam políticas públicas na área social. Macaé cresceu desordenadamente e nas comunidades mais carentes não tem incentivo no esporte, cultura e lazer. Vamos modificar este cenário. Quero levar projetos sociais para dentro das comunidades”.

Pescador por muitos anos e conhecedor do trabalho árduo da classe, Ricardo defendeu mais investimentos do poder público para o setor. “A pesca em nosso município é muito rica. O pescador precisa de incentivo. O maior problema é o auto custo do combustível. A pesca em Macaé contribuiu muito para o desenvolvimento da cidade antes do royalties do petróleo. Hoje infelizmente o pescador é o maior penalizado. Queremos resgatar o pescador artesanal, incentivar a pesca esportiva e criar um armazenamento para a classe. Muitas das vezes o pescador chega com o barco cheio, mas não tem onde armazenar o pescado tendo que desfazer da sua mercadoria”, contou.

Ricardo Bichão defendeu a mudança de local da rodoviária da cidade para próximo ao Obelisco de Macaé, acesso a RJ-168. “Trata-se de um local muito bem localizado próximo ao HPM, Fórum, Câmara Municipal e que irá desafogar o tráfego no Centro da cidade. Temos um projeto para isso”.




 

Comentários