Silvinho Lopes diz que setor de educação, infraestrutura e econômico serão prioridades

Pré-candidato à Prefeitura de Macaé pelo DEM pretende elaborar projetos sociais em comunidades de situação de vulnerabilidade

Por José Eduardo Vieira

Macaé - Em entrevista nesta terça-feira (21) ao colunista política Sidney Rezende e ao repórter José Eduardo Vieira, o pré-candidato à Prefeitura de Macaé, Silvinho Lopes (DEM), destacou como principais pautas do seu projeto, a garantia de superação da cidade com base em vocações econômicas e naturais da cidade.   
Através da reorganização dos recursos públicos, com prioridades voltadas aos serviços básicos, Silvinho disse apostar na eficiência da gestão para assegurar a execução de projetos de infraestrutura fundamentais para elevar a qualidade de vida da população, atraindo também novos investimentos.
“Vamos disputar uma eleição em cima de argumento e de propostas. Tenho um passado de gestor, mas as minhas ideias são de futuro, por Macaé”, disse.
Macaé tem a projeção de se tornar a “Cidade Energia”, por já concentrar investimentos na construção de termelétricas, com contratos estabelecidos para o fornecimento de energia junto a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Silvinho disse este cenário representa o futuro econômico da cidade.

“Somos o 25° município que mais arrecada no Brasil. Com competência e eficiência, é possível vencer este cenário pós pandemia. Sou otimista. Sei que a situação é difícil, mas Macaé tem a sua vocação de crescer e ajudar o Estado a se desenvolver. O gás vai ser a principal alternativa por um longo tempo. Temos nove projetos de termelétricas licenciadas e uma já sendo construída. Ainda temos a projeção de 14 termelétricas funcionando na cidade. Um potencial enorme de geração de energia e de emprego. Precisamos da infraestrutura portuária para assegurar essa nova fase”, disse. 
Perguntado sobre qual o setor que seria a sua prioridade na gestão, Silvinho foi enfático: “Educação é prioridade, mas é preciso gestão para ter eficiência. O Ideb de Macaé e de 5.9, com investimento per capito de R$ 12 mil, enquanto Sobral, cidade com o maior Ideb do país em 9 pontos, investe R$ 5 mil por aluno. A qualidade do ensino está no reconhecimento e na valorização do magistério e todos os profissionais da rede, somada a infraestrutura e um modelo de ensino universal”. 
O crescimento desordenado, a favelização fez com que Macaé tenha nos dias atuais áreas dominadas pelo tráfico de drogas. O pré-candidato do DEM comentou como a gestão pública municipal pode colaborar na segurança pública.
“A melhor escola precisa estar dentro da área de maior impacto social. A cultura, o esporte a saúde precisam fazer parte da realidade dessas regiões, fortalecendo a presença da prefeitura na realidade dessas famílias”.

Comentários