Enfim, uma boa notícia que vem da política

União de esforços de parlamentares fluminenses garante que arrecadação com megaleilão do pré-sal renda R$ 2,5 bilhões aos cofres do estado

Por Chico Alves

Se partilha for aprovada no STF, estado pode perder R$ 5,5 bilhões
Se partilha for aprovada no STF, estado pode perder R$ 5,5 bilhões -
Em meio a um tsunami de notícias negativas em quase todas as áreas do país (desemprego em alta, cortes na Educação, queimadas na Amazônia, caneladas nas relações exteriores...) é bom destacar um fato positivo para aliviar a tensão cotidiana. Especialmente quando são boas novas para a população do Rio de janeiro, há tantos anos maltratada pela falência da máquina do estado, que vive de pires na mão. Na contramão do jogo de interesses e egos inflados que normalmente se tem visto em Brasília, a união de esforços de parlamentares fluminenses no Congresso resultou no acordo que garante R$ 2,5 bilhões do que a União vier a arrecadar no megaleilão do pré-sal, previsto para novembro. Pelo parecer do senador Cid Gomes (PDT-CE), o Rio receberia apenas R$ 326 milhões.

A proposta de emenda à Constituição que divide os recursos federais com estados e municípios foi aprovada na terça-feira e segue para a análise da Câmara dos Deputados. " O dinheiro carimbado pelo governo federal vai ser repassado ainda esse ano para o estado do Rio, o que vai resolver problemas de fundos de Previdência, evitando o risco de atraso dos salários dos servidores, dos professores, dos policiais, dos aposentados e pensionistas, que dependem do poder público", explicou à coluna o deputado Christino Áureo (PP-RJ), um dos articuladores do acordo, junto com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os senadores Flavio Bolsonador (PSL) e Arolde de Oliveira (PSC) e Romário (Podemos).

O acordo resultou de uma articulação iniciada há um mês. O esforço foi de mostrar aos senadores que o critério estabelecido pelo senador Cid Gomes não fazia justiça ao estado do Rio, que sofre grandes impactos por causa da extração de petróleo. A fatia de 3% para estados produtores de petróleo e gás foi assegurada pela emenda dos três senadores fluminenses. Flávio Bolsonaro considera justa a decisão, pois beneficia os estados de onde saem os recursos naturais que, ao serem leiloados, garantem dinheiro para o resto da federação. "O estado que tem mais de 70% da produção de petróleo no Brasil estava sendo contemplado com apenas R$326 milhões, ante os mais de R$100 bilhões que se pretende arrecadar com esse leilão", destacou o senador do PSL.

A vitória de terça-feira não é suficiente para tirar o estado do atoleiro, mas garante um fôlego imediato. Mais do que o resultado financeiro, a ação dos parlamentares mostrou o caminho para fazer as coisas melhorarem por aqui: integração de esforços, foco no interesse público, menos vaidade e mais trabalho. Esses ingredientes, que andam em falta na política fluminense, garantiram uma receita de sucesso. Que continuem assim.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários